DIA MUNDIAL DA SAÚDE MENTAL ALERTA SOBRE INCLUSÃO

11/10/2014


Data celebrada ao redor do mundo busca incentivar o conhecimento e derrubar o preconceitos contra pacientes psiquiátricos

No dia 10 de Outubro é celebrado o Dia Mundial da Saúde Mental, data escolhida para discussão de temas que envolvem o paciente psquiátrico. A assistência em saúde mental, dos direitos e a proteção das pessoas com transtorno mental está assegurada pela Lei nº 10.216, de 6 de abril de 2001. A lei é um dos marcos do movimento social pelos direitos dos pacientes psiquiátrico, que teve início no final dos anos 1970. “A partir de 2001 presenciamos o surgimento de serviços de saúde estratégicos, como por exemplo os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS)”, lembra a psicóloga do Hospital 'Carlos Fernando Malzoni', Érica Silva.

De acordo com dados da OMS, 450 milhões de pessoas sofrem ou sofrerão de distúrbios da mente, os dados são mais expressivos e comuns mesmo comparados com doenças de ordem biológica como diabetes, hipertensão, colesterol alto, obesidade e até respiratórios. “O Ministério da Saúde pretende futuramente qualificar leitos psiquiátrico em Hospital Geral, visando fortalecer a rede de atenção à saúde mental, constituindo uma equipe multiprofissional para este tipo específico de cuidado”, comenta Érica.

Apesar da grande número de casos, os pacientes sofrem inúmeros preconceitos, “as pessoas que sofrem algum tipo de transtorno mental é reconhecida como uma das mais excluídas socialmente, sofrendo estigmas e preconceitos”, aponta a psicóloga do Hospital que ainda completa: “É possível dizer que a falta de infomação sobre os métodos de tratamento e o medo de procurar ajuda e ser tachado de 'louco' são fatores que impedem a busca por tratamento especializado”.

O diagnóstico precoce nos transtornos mentais é importante para a indicação de ajuda médica, psiquiátrica ou psicológica. “Portanto, é considerável esclarecer a população de que o controle da doença mental é possível, principalmente nos estágios iniciais da doença e que com a diminuição do preconceito poderemos promover a saúde mental, prevenir a doença mental, tornando o diagnóstico precoce e o tratamento efetivo”, conclui Érica Silva.

Fonte: Hospital de Matão


Ajude Mais

OUVIDORIA

Colabore conosco e registre aqui sua avaliação sobre estes quesistos.

ACESSE NOSSO CANAL