PARTO HUMANIZADO É DISCUTIDO EM TREINAMENTO COM OBSTETRAS

08/03/2017


A Maternidade de Alto Risco do Hospital 'Carlos Fernando Malzoni' vem realizando desde o mês de janeiro uma imersão no universo do parto normal e humanizado. A ideia de sensibilizar a equipe médica e de enfermagem sobre o tema e multiplicar as informações sobre o benefício dessa modalidade de parto veio do ginecologista e obstetra, Dr. Julio Cesar Moraes. “Acreditamos que para passarmos informações às gestantes sobre o parto normal e humanizado, precisamos estar sempre atualizados sobre tema. Por isso, convidamos o obstetra Dr. Mauro Casanova, que é um defensor do parto normal humanizado para alguns bate papos sobre a temática”, afirma o médico.

Os encontros, que são realizados quinzenalmente no auditório do hospital, já reuniu médicos de diversas especialidades, como ginecologia, anestesia e pediatria, além de profissionais da área da enfermagem que atuam com as gestantes e puérperas. “Nesses encontros podemos tirar dúvidas e rever condutas adotadas no parto. É muito interessante não somente para os profissionais que comparecem, mas para que as mães que tem dúvida sobre a abordagem do parto humanizado, possam encontrar em nossa maternidade um norte”, aponta o médico, que também é coordenador da Maternidade de Alto Risco,

Para o obstetra Dr. Mauro Casanova, plantonista no Hospital de Matão, o parto normal humanizado deve ser discutido entre gestante e médico. “Tudo deve ser pensado para proporcionar mais conforto e segurança para a gestante na hora do parto. Por isso uma conversa aberta com o obstetra pode amenizar a ansiedade da mãe e ajudá-la a tomar a decisão sobre o seu parto”, explica Casanova. Com os encontros na instituição, o médico que levanta a bandeira do parto humanizado, espera que a equipe de Matão consiga refletir sobre a importância do parto normal. “Debater sobre esse assunto e atualizar-se sobre as condutas tomadas no parto humanizado são de grande valia para uma atualização dos profissionais e, principalmente, para que esse assunto seja mais discutido entre as equipes”, conclui.

Fonte: Hospital de Matão


Ajude Mais

OUVIDORIA

Colabore conosco e registre aqui sua avaliação sobre estes quesistos.

ACESSE NOSSO CANAL