Telefone: (16) 3383-2500
Agendamento de Exames: (16) 3506-5500
Notícias

Hospital de Matão é representado no 29º Congresso Nacional das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos em Brasília

Entre os dias 13 e 15 de agosto aconteceu a 29ª edição do Congresso Nacional das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos no Centro de Eventos e Convenções Brasil 21, em Brasília. O ‘Hospital Carlos Fernando Malzoni’ fez parte deste importante evento sendo representado pela superintendente da Instituição, Denise Minelli, e pelo gerente de Controladoria, Diego Wagner Santos. O Congresso contou com a participação do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta e do presidente da Confederação das Santas Casas de Misericórdia, Hospitais e Entidades Filantrópicas (CMB), Edson Rogatti. Considerado o maior no segmento, o evento teve como tema central, “Rede Filantrópica: Reconstruindo a Saúde com o Brasil’, e reuniu dirigentes, administradores hospitalares, advogados, especialistas e autoridades de todo Brasil. O objetivo foi promover debates de interesse do setor filantrópico de saúde, em busca de atualizar conhecimentos e apresentar ferramentas adequadas para a melhoria da gestão e superação das crises. Para tanto, reuniu especialistas para debater os principais desafios enfrentados pelas entidades, bem como as perspectivas futuras diante de um novo momento político vivenciado pelo Brasil em 2019.

Segundo Denise Minelli, esse congresso é importante porque une duas agendas , de palestras e novos conhecimentos e também agenda política, iniciando com café da manhã dos congressistas com deputados e também visita ao gabinete de alguns parlamentares, bem como ida ao ministério da saúde para tratar assuntos de interesse do hospital.

Na solenidade de abertura, o presidente Edson Rogatti, deu as boas-vindas aos congressistas e ao ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, que representou na ocasião o presidente da República, Jair Bolsonaro. Rogatti chamou a atenção sobre o novo momento político que vivemos no Brasil. “Momento que já indicou ser propício para a construção de uma nova era na saúde pública do País. O setor filantrópico, além de consolidar seu papel histórico, exerce função essencial na reconstrução da saúde brasileira, uma vez que responde por mais de 60% dos atendimentos ambulatoriais e quase 70% dos atendimentos de alta complexidade do Sistema Único de Saúde (SUS)”, relata. O presidente falou ainda sobre os três eixos temáticos essenciais para a eficiência do setor de saúde como um todo. “A Governança, Sustentabilidade e Relacionamento. Este é o novo e promissor cenário de reconstrução da saúde, em busca de melhorias duradouras, que possibilitem que os brasileiros tenham acesso à saúde de qualidade, conforme rege a nossa Constituição”,destaca. Ele ressaltou ainda dos avanços já alcançados no novo governo. “Nesses sete meses tivemos o alongamento da nossa dívida com o financiamento do BNDES e FGTS. Queremos ser o grande parceiro do governo”, finaliza.

Em seguida, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, enfatizou em seu pronunciamento que o tema do evento é muito similar ao do Brasil. “Reconstrói aquele que vê a casa da sua família, os quartos e as varandas racharem por falta de manutenção. O nosso país infelizmente, durante muitos anos, foi uma casa que vimos deteriorar, recebemos as contas públicas em situação extremamente precária. Encontramos uma atenção primária tão malcuidada, com perigo de retomar as doenças infecciosas. Portanto, é preciso investir em gestão clínica, é preciso valorizar o médico e medir as reformas dos CTIs”,ressalta. Na ocasião, o ministro levantou um questionamento aos parlamentares presentes. “Vocês, parlamentares, querem colocar mais dinheiro na saúde? Apontem onde devemos diminuir?”, indagou. Além disso, o ministro disse que o presidente Jair Bolsonaro espera reconstruir o Brasil com as Santas Casas. “Espero trazer boas notícias em breve. Por enquanto, conseguimos aumentar as linhas de financiamento, mas vamos celebrar mais quando chegar o momento em que a casa estiver reconstruída para poder oferecer um bom atendimento a vocês”, finaliza.

Em seguida, iniciou-se o ciclo de palestras com os temas: Governança corporativa; Lei geral de proteção de dados; Emendas parlamentares aplicáveis à saúde; Aprimorando o relacionamento com o gestor SUS e órgãos de controle; O custo do desperdício; Práticas que agregam valor para o paciente-Programa para qualificação da assistência ao paciente. No dia 14, os temas foram: A importância de se relacionar com seus parceiros; Aplicação de metodologias para o aperfeiçoamento de processos e Gerenciamento de glosas, cortes e rejeições: Saúde Suplementar e SUS. No dia 15, “A importância de indicadores para gestão; Sustentabilidade ambiental no contexto hospitalar; Tendências, alertas e perspectivas para o setor; O que nos trouxe até aqui nos levará para o futuro?.

O Congresso é promovido pela Confederação das Santas Casas de Misericórdia, Hospitais e Entidades Filantrópicas (CMB), uma associação sem fins lucrativos fundada em novembro de 1963, com sede em Brasília. A entidade é um órgão de união, integração e de representação das Federações de Misericórdias constituídas nos respectivos Estados, bem como das Santas Casas, Entidades e Hospitais Beneficentes. Atualmente, a CMB é composta por 16 Federações Estaduais, e representa 2.172 hospitais sem fins lucrativos em todo o país, dos quais 1.704, atendem o Sistema Único de Saúde (SUS).

AnteriorPróximo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X