Telefone: (16) 3383-2500
Agendamento de Exames: (16) 3506-5500

“Gripário” inicia atendimento nesta terça-feira dia 18/01/2022

Devido o aumento expressivo de casos da gripe e covid-19 desde o início de janeiro, o Hospital Carlos Fernando Malzoni, em parceria com a Prefeitura Municipal de Matão, criou a Unidade de Síndrome Gripal Aguda: um gripário que, segundo a  superintendente do HCFM, Denise Minelli, “irá melhorar a logística de atendimento, desafogando o Pronto Socorro, melhorando o atendimento dos casos de urgência e emergência”.

A medida foi aprovada por unanimidade pela Câmara Municipal, por intermédio do Projeto de Lei 5/2022 de autoria do Executivo, autorizando a Prefeitura a celebrar convênio com Hospital de Matão.

🗓 O início das atividades:
Amanhã, 18 de janeiro de 2022.

⏰
Horário de atendimento:
das 9h às 21h,

🏥
Local:
Antigo prédio do Fórum de Matão, na Av. Sete de Setembro, 856, esquina com a Rua Sinharinha Frota, bem próximo ao Hospital

👩‍⚕️
Capacidade de atendimento:
300 pacientes por dia.
O prazo de duração desse convênio será de 60 dias, mas pode ser prorrogado mediante necessidades.
O gripário será um grande auxílio ao sistema de saúde da cidade e aos pacientes.2
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn

2000 testes de COVID para o HCFM

Os vereadores Paulo Bernardi e Ana Mondini conseguiram a doação de 2000 testes de COVID destinados ao HCFM por intermédio do deputado estadual Adalberto Freitas e do Superintendente do Ministério da Saúde em SP, José Carlos Paludeto. A entrega foi feita no HCFM com a presença dos citados vereadores, do Secretário de Saúde do Município Ademir de Souza, e da superintendente do Hospital, Denise Minelli. Esses testes serão utilizados na nova unidade para atendimento de síndrome gripal, e será aplicado somente em pessoas que apresentarem sintomas com suspeita de COVID, sob indicação médica.
Agradecemos a todos os envolvidos por essa valiosa contribuição!
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn

“Gripário” será instalado no prédio do antigo Fórum

A Comarca, 14 de janeiro de 2022

Na terça-feira (11), a Câmara Municipal de Matão se reuniu em Sessão Extraordinária que culminou com a votação – e aprovação – de seis itens. Um deles foi o Projeto de Lei (PL) número 5/2022 de autoria do Executivo, que autoriza a Prefeitura a celebrar convênio com a Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Matão, mantenedora do Hospital ‘Carlos Fernando Malzoni (HCFM).
Trata-se de convênio extraordinário aprovado por unanimidade pelos vereadores, visando assistência no pronto atendimento de pacientes, com o objetivo de mitigar efeitos da epidemia de gripe Influenza H3N2, somados aos esforços existentes para controle da pandemia de Covid-19. Consta no PL que nenhum valor poderá ser cobrado dos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS). Se isso for feito caberá a rescisão do convênio e aplicação de 100% de multa do valor total mensal estimado do contrato.
O principal objetivo é desafogar o atendimento no Pronto Socorro Municipal. Para isso, um Plano de Trabalho será colocado em prática possivelmente a partir da próxima semana, atendendo sem necessidade de agendamento – bastando a procura espontânea – as pessoas com sintomas gripais ou de Covid-19 no prédio do antigo Fórum, que foi cedido pelo Governo do Estado de São Paulo para o HCFM no dia 26 de março de 2018.
Estimou-se para firmar o convênio, o atendimento de 300 pacientes por dia, das 9 às 21 horas. “Pedimos a gentileza para as pessoas continuarem buscando atendimentos nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e nas unidades de Programa de Saúde da Família (PSF) que a Prefeitura disponibiliza para as referidas finalidades, evitando a possível formação de imensas filas de espera no prédio do Fórum”, diz a superintendente do Hospital de Matão, Denise Paolinetti da Câmara Minelli.
“Consideramos muito intensa a procura de atendimento por parte de pessoas com sintomas de gripes, sem saber ao certo se contraíram Covid-19 ou não. Além disso, a quantidade de internações hospitalares na Enfermaria e na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) voltou a aumentar e deverá crescer nos próximos dias. Então, continuamos pedindo a colaboração da população para que não ocorram aglomerações, o afastamento social e o uso de máscaras, sobretudo das mais eficientes”, diz Denise.  
Este convênio tem prazo de 60 dias, podendo ser prorrogado por mais 30 dias. A Prefeitura repassará ao HCFM o valor mensal estimado até o limite de R$ 392.762,81, totalizando o montante de R$ 785.525.62, ficando autorizado o Executivo a custear eventuais adequações, instalações, ajustes e reformas no prédio onde funcionará a Unidade de Síndrome Gripal Aguda (USGA) até o limite de R$ 35.000,00. A USGA poderá ser denominada popularmente de ‘Gripário’.

 

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn

Síndrome gripal lota o Pronto Socorro do HCFM

Síndrome gripal lota o Pronto Socorro do HCFM

O Hospital Carlos Fernando Malzoni enfrenta aumento excessivo de casos de síndrome gripal. De 13 de dezembro de 2021 até 5 de janeiro de 2022 o número de casos atendidos no Pronto Socorro do HCFM praticamente quadruplicou (veja o gráfico).
O novo surto de gripe H3N2, um subtipo do vírus “Influenza A”, tem gerado preocupação, na medida em que tem infectado a população simultaneamente com a COVID-19.
No Brasil, ao menos três estados brasileiros – Rio de Janeiro, Ceará e São Paulo – têm relatos de testes positivos tanto para a Covid como para a gripe.
A combinação dos vírus é denominada de “FLURONA”, uma designação a partir dos termos “FLU” (gripe, em inglês) e “RONA” (de coRONAvírus).
Os casos de pacientes com dupla infecção viral não são novidades. Eles foram detectados pela primeira vez nos Estados Unidos, durante o primeiro ano da pandemia de covid-19 (fonte: Agência Brasil).
No caso do aumento de síndromes gripais atendidos no Pronto Socorro da cidade, existe a preocupação com a aglomeração, que pode causar contágios inesperados em pacientes com outros problemas não respiratórios. O Dr. Rafael Bócoli, médico infectologista do HCFM alerta que “o PS é um local que possui uma aglomeração grande nesse momento, principalmente de pessoas com todo tipo de doença. Precisamos ter consciência social. Ao sinal de gripe, deve-se procurar o Pronto Socorro somente em casos de dificuldade para respirar, tosse que fica difícil de controlar em casa, febre mantida por mais de 48h. Deve-se evitar o máximo procurar o atendimento se estiver com sintomas mais leves, como coriza, dor de cabeça, que melhora com analgésicos, tosse leve. Lembrando que o tratamento é feito com medicamentos sintomáticos”.
A vacinação é o maior diferencial que pode evitar o agravamento de casos. Ainda segundo o médico infectologista, “vale lembrar que como as vacinas são feitas com partículas virais, a mesma não impede a infecção, a mesma não impede a infecção, mas reduz a chance de evolução para casos mais graves, como temos observado”, orienta.
A receita é conhecida, mas o Dr. Rafael faz questão de relembrar os cuidados necessários com a prevenção, tanto para a gripe quanto para a COVID: “os meios de prevenção ainda são os mesmos já discutidos quando falamos do coronavírus. Por ambos serem vírus respiratórios precisamos tentar reduzir a chance desses vírus atingirem as vias aéreas, e as formas para isso é o uso de máscara e a higienização das mãos, tendo como objetivo evitar tocar na região de boca, nariz e olhos e, evitar lugares fechados com aglomeração, e principalmente a vacinação tanto para a COVID-19 quando para a influenza”.

Ações emergenciais HCFM / Prefeitura
Diante da situação alarmante no PS da cidade, a Administração do Hospital e Prefeitura se uniram para a tomada de medidas emergenciais.

A primeira medida entrou em vigor já no dia 6 de janeiro, com a mudança no horário de visitas no Hospital. Os novos horários e regras para visitas passam a ser os seguintes:

– Enfermarias 12 às 13h – 1 visitante

– UTI Adulto 16h30 às 16:40h – 1 visitante por paciente

– UTI Neonatal 17h às 17:30h – Somente pai, mãe ou responsável legal

Condições para visitas:

* O visitante não poderá estar com sintomas de síndrome gripal

* O paciente que está com acompanhante não receberá visita.

A segunda medida será a criação de um gripário, para atendimento específico no atendimento de síndromes gripais, em local próximo do PS, provavelmente no prédio do antigo fórum da cidade. Essa medida depende de tramitação na Câmara Municipal de Matão.
De acordo com a superintendente do Hospital de Matão, Denise Minelli, “O Hospital de Matão está tomando todas as medidas necessárias de acordo com o cenário que vai se desenhando. Contamos com o apoio das instituições e a compreensão da população”.

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn

Mudança no horário de visitas

 
Com o aumento dos casos confirmados de covid-19 e visando a segurança dos pacientes e colaboradores do Hospital, veja novos horários e regras para visitas.

Enfermarias – 12h às 13h – 1 visitante
UTI Adulto – 16h30 às 16h40 – 1 visitante
UTI Neonatal – 17h às 17h30 – somente pais ou responsável

* O visitante não poderá estar com sintomas de síndrome gripal.
* O paciente que está com acompanhante não receberá visita.

HOSPITAL CARLOS FERNANDO MALZONI
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn

Primeiro parto de 2022 em Matão

O primeiro parto de 2022 em Matão ocorreu no dia 1 de janeiro de 2022 às 08h02 no Hospital Carlos Fernando Malzoni.
O menino Tito Santos nasceu de parto normal, com 3,43kg e 49 cm, depois de 40 semanas e 3 dias de gestação. O parto foi realizado pela médica obstetra Dra. Mizia Cristina Costa Lorenzoni. A família é de Nova Europa, e no último mês os pais Tatiane Cristina Porto Santos e Alexandre Santo iniciaram os preparativos para o parto no HCFM.
(imagens autorizadas por escrito)

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn

Hospital de Matão participa do ‘Corujão da Saúde’

O Hospital Carlos Fernando Malzoni participa do programa “Corujão da Saúde”, criado pelo Governo de São Paulo, que conta com a parceria entre Estado e hospitais da rede pública e privada para atendimento de pacientes que dependem do sistema único de saúde (sus) em horário noturno.
A realização dos procedimentos teve início em novembro/2021 no Hospital de Matão, tendo como público alvo pacientes que necessitem da realização dos exames de ressonâncias e tomografias. Até o fechamento desta edição foram contabilizados mais de 200 exames, envolvendo pacientes de Matão e região.
A retomada do Corujão da Saúde visa atender a uma demanda reprimida por causa da pandemia do coronavírus. A queda dos atendimentos por Covid-19 e o avanço da vacinação em SP favoreceram essa retomada.
Denise Minelli, superintendente do Hospital de Matão, explica que “os municípios estão com muitas demandas reprimidas que são provenientes da pandemia da COVID-19, e ações como o Corujão da Saúde auxiliam a reduzir filas, viabilizando maior acesso aos procedimentos que a população necessita”, explica Denise.
O “Corujão da Saúde” segue até o dia 31 de dezembro de 2021.

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn

Projeto “Polvinho de Amor” é retomado no HCFM

O Hospital Carlos Fernando Malzoni retoma o projeto “Polvinho de Amor”, em favor dos prematuros da UTI do HCFM. Esse projeto foi implementado pela ONG Nica Pinotti, em parceria com o Rotary Club Matão Terra da Saudade e pelo Hospital de Matão, pelas mãos da saudosa médica ginecologista obstetra e membro do corpo clínico do HCFM, Helena Beatriz Perissé de Oliveira, falecida no último dia 13 de novembro de 2021 (assista abaixo a entrevista concedida ao repórter Luiz Esteves da TVM).
O projeto consiste na confecção de polvos de crochê, seguindo rigorosos padrões de produção, que são colocados dentro das incubadoras, junto aos bebês prematuros.
Desde o mês de novembro deste ano a médica neonatologista do HCFM Stela Mara A. Coelho Ramazza está se empenhando para que esse projeto seja retomado. “Temos que buscar a melhor situação do bebê dentro da UTI Neo Natal, e esse polvinho é um item muito importante”, explica. De acordo com a neonatologista, os prematuros extremos chegam a passar dois a três meses dentro das incubadoras. “É importante minimizarmos os desgastes desses bebês, proporcionando mais calma, que refletem positivamente na frequência cardíaca e na pressão arterial”.
O projeto dos polvinhos de crochê, denominado “Octo Project”, foi criado na Dinamarca em 2013, e rapidamente se disseminou pela Europa e pelo mundo diante dos resultados positivos.
Dra. Stela esclarece que “o formato do polvo, confeccionado em crochê, remete o bebê à sensação de contato com a parede uterina, que proporciona calma ao prematuro, e os tentáculos do polvo fazem o bebê se recordar do cordão umbilical, garantindo maior segurança durante o período que o bebê precisa passar dentro da UTI Neo Natal.”
A neonatologista destaca que “estamos retomando esse projeto em homenagem à Dra. Helena Perissé, que era a nossa maior colaboradora nesse projeto. Ela própria confeccionava os polvinhos, conseguiu muitas colaboradoras e muitas doações em prol desse projeto de amor”, conclui Stela.
Naiara Périssé de Oliveira Finotti, filha da Dra. Helena Perissé aprovou a iniciativa da Dra. Stela: “Ficamos muito contentes e emocionados em saber que resolveram continuar com o projeto que minha mãe trouxe para o Hospital. Esses polvinhos são lindos!”. A ONG Nica Pinotti se coloca à disposição para que esse projeto continue aliviando o grande desafio no começo das vidas dos prematuros da UTI Neo Natal do HCFM.
De acordo com Denise Minelli, superintendente do HCFM, “o Hospital de Matão sempre será sensível à humanização e excelência no cuidado dos pacientes desde a mais tenra idade. A iniciativa da Dra. Stela Ramazzi, inspirada na nossa memorável amiga e médica Helena Perissé nos enche de orgulho e alegria”.

O projeto necessita de ajuda da população, por isso, quem quiser colaborar deve entrar em contato com a Casa da Gestante do HCFM: Telefone (16) 3383-2500 Ramal 2150. Rua Brasília, 626, defronte à portaria principal do Hospital de Matão na Av. Sete de Setembro.

Como fazer os polvinhos (gentilmente cedido pela ONG Nica Pinotti):

 Linha grossa de algodão puro (100% algodão) ou linha mais fina utilizada de forma dupla. A linha pode ser mercerizada ou não. A espessura da linha utilizada ou quando usada dupla deve servir para agulhas 2 mm, 2,5 mm ou 3 mm a depender do ponto de cada crocheteira;

 Os polvinhos devem ter o corpinho de 6 a 9 cm. A cabeça deve ter uma circunferência de 15 a 17 cm. Corpos maiores atrapalham o espaço na incubadora;

 O ponto utilizado deve ser fechado: pontos baixos (sem laçada);

 O trabalho deve ser iniciado com o chamado anel mágico, técnica de crochê https://www.youtube.com/watch?v=__8zgF7xX3w (veja abaixo) para que seja bem fechado e não ofereça riscos ao bebê como sair enchimento ou prender o dedo;

 Os tentáculos devem ser em número de oito e ter no máximo 22 cm ao serem esticados para não oferecem risco aos bebês. Os pontos dos tentáculos também devem ser fechados para não prenderem os dedos dos bebês.

 O enchimento deve ser de fibra siliconada para que os polvos possam ser esterilizados em autoclave. Não pode utilizar lã acrílica ou qualquer outro tipo de enchimento;

 Os polvos podem ser de qualquer cor ou várias cores, porém eventuais enfeites devem ser bordados, ou feitos em crochê e muito bem pregados e sem nós aparentes. Nada pode se prender a fios ou tubos. Nada pode ser colado como olhinhos de plástico, laços ou qualquer outro enfeite.

A receita

  1. Fazer 6 pontos baixos em um “anel mágico”. Puxar o fio para fechá-lo. Utilizar um marcador de carreira ou um pequeno alfinete para marcar o primeiro ponto de cada carreira. As carreiras devem crescer em espiral (sem fechar a carreira e subir uma correntinha). Sempre em espiral. Isso é importante para que não haja emendas que machuquem a pele fina dos bebes;
  2. Um ponto baixo duplo até o final (dois pontos baixos em cada ponto) – termina em 12 pontos;
  3. Um ponto baixo e um ponto baixo duplo no próximo ponto. Seguir assim até o final. Termina em 18 pontos;
  4. Dois pontos baixos e um ponto baixo duplo até o final. Termina com 24 pontos;
  5. Três pontos baixos e um ponto baixo duplo até o final. Termina com 30 pontos;
  6. Quatro pontos baixos e um ponto baixo duplo até o final. Termina com 36 pontos;
  7. Não se esquecer de sempre marcar o primeiro ponto com marcador ou alfinete;
  8. A partir daqui fazer 6 a 8 carreiras de pontos baixos (marcar o início e não esquecer que é sempre em espiral);
  9. Iniciar as diminuições;
  10. Quatro pontos baixos e uma diminuição até o final; ficam 30 pontos. Fazer duas carreiras de pontos baixos;
  11. Três pontos baixos e uma diminuição até o final; ficam 24 pontos. Fazer duas carreiras de pontos baixos;
  12. Dois pontos baixos e uma diminuição até o final; ficam 18 pontos. Fazer uma carreira de pontos baixos;
  13. Sete pontos baixos e uma diminuição; mais sete pontos baixos e uma diminuição. Ficam 16 pontos. Uma carreira de pontos baixos;
  14. Encher o polvinho com a fibra siliconada. Deve ficar firme sem ficar duro;
  15. Iniciar os tentáculos. Entre dois tentáculos haverá um ponto para separá-los;
  16. Fazer 50 correntinhas. Fazer três pontos baixos em cada correntinha pegando no elo de cima ao posicionar a correntinha virada de frente para a crocheteira. Não se esquecer de sempre arrumar a correntinha. Terminar na última correntinha com ponto baixíssimo. Fazer um ponto baixo no corpo do polvinho e mais um ponto baixo de onde sairá mais uma correntinha de 50 pontos. Seguir assim até o final, totalizando os oito tentáculos;
  17. Os tentáculos vão enrolando naturalmente, mas é preciso arrumá-los ao final;
  18. Fazer um ponto baixo em cada ponto baixo entre os tentáculos. Fazer uma carreira de pontos simples. Completar com fibra siliconada o espacinho que sobrou. Fechar o buraquinho com linha na agulha de tapeçaria;
  19. Bordar os olhinhos e boquinha ou fazê-los em crochê muito bem pregados. Vale qualquer enfeite desde que não se prenda aos fios; não pode aparecer nenhum nozinho e nada pode ser colado.
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn

Profissionais da saúde homenageados pelos alunos da Escola SESI Matão

“PRECISA-SE DE HERÓIS” foi o tema do projeto do “6o. ano A” da escola SESI – Matão. Escolhido pelos próprios alunos, o objetivo do projeto era desenvolver o olhar no sentido de valorizar as pessoas que fazem diferença na sociedade. Por isso escolheram homenagear os profissionais da saúde. Cada um deles escreveu uma carta ou fez um desenho direcionado a esses profissionais. Vários envelopes com as homenagens foram entregues pela professora Marina Masselani Gorni Daris, e recebido pela assistente social do HCFM, Graça Mattos. A homenagem é merecida diante do protagonismo dos profissionais da saúde durante a pandemia, que ainda não terminou.
 
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn

Dezembro Vermelho em destaque

Médico Infectologista do HCFM fala sobre o Dezembro Vermelho

O Hospital de Matão continua promovendo o Dezembro Vermelho, que é o mês de conscientização e prevenção da Infecção causada pelo Vírus da Imunodeficiência Humana, O HIV. Na entrevista abaixo, o Dr. Rafael Bócoli, médico infectologista de do Hospital de Matão traz importantes considerações sobre o HIV:

Assista à matéria produzida pela TVM (agradecemos pela parceria)

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
X