Telefone: (16) 3383-2500
Agendamento de Exames: (16) 3506-5500

O HCFM participou do 1º Fórum de Experiências Exitosas na Constituição de Redes Regionais de Atenção à Saúde

O Hospital Carlos Fernando Malzoni participou do 1º Fórum de Experiências Exitosas na Constituição de Redes Regionais de Atenção à Saúde, realizado pela Organização Pan Americana de Saúde – OPAS e pela Secretaria de Estado, nos dias 20 e 21 de maio, em São Paulo. O HCFM foi representado por Natália Ferrari Vedroni, gerente de serviços de saúde;
No evento foram apresentados 38 projetos aprovados, selecionados entre 174 inscrições. Dentre os projetos aprovados, o de Natália foi selecionado para apresentação oral. O trabalho intitulado “Núcleo de Acesso à Qualidade Hospitalar (NAQH): construções coletivas para integralidade do cuidado no SUS” foi desenvolvido dentro da rede de atenção à saúde que compõe o Hospital de Matão, e demais municípios da região. 
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn

Empresas participam de reunião para prestação de contas

No dia 22 de maio, no CEP, aconteceu um encontro reunindo a gestão do Hospital Carlos Fernando Malzoni, e convidados representantes das empresas BALDAN, ECONOROESTE, SUPLEY e TERRAL. Essas empresas participaram de projetos sociais que beneficiaram o HCFM na aquisição de equipamentos para a UTI Neonatal: 3 incubadoras e um monitor cardíaco. No evento, Denise Minelli, superintendente, e Roberto Cadioli, diretor do Hospital, falaram sobre a importância dessa parceria envolvendo empresas que participam desses projetos. Mirela Ré, coordenadora de projetos do HCFM, fez uma apresentação detalhando toda a prestação de contas que culminou nas aquisições dos equipamentos citados. Sérgio Batista, diretor da Casa do Incentivo, empresa que intermedia a captação de recursos baseados nas leis de incentivos fiscais, explicou sobre as vantagens em participar desses projetos, cuja destinação acaba beneficiando instituições do próprio município. Fernanda Bellissimo, coordenadora de gente, gestão e sustentabilidade da empresa Baldan também fez uso da palavra, destacando o compromisso da empresa em participar deste projeto. Estiveram presentes ainda os diretores do HCFM José Carlos Chiozzini e Reginaldo Vedoatto, além de representantes de instituições municipais. Em seguida à apresentação, foi servido um café da manhã, e na sequência, todos foram convidados para uma visita ao interior do Hospital, quando foram apresentadas as incubadoras já em uso na UTI Neonatal, local onde também foi instalada uma placa comemorativa em homenagem às referidas empresas. O grupo ainda teve a oportunidade de conhecer demais dependências do Hospital, monitorados pelos colaboradores Talita Rodrigues e Valdir José de Souza, ambos do departamento comercial do HCFM, e ainda a gerente financeira Marcy Trovó.  

Assista à matéria produzida pela TVM
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn

Hospital de Matão completa 111 anos

O Hospital Carlos Fernando Malzoni, um pilar vital na comunidade de Matão, celebra 111 anos de serviços ininterruptos desde sua fundação em 11 de maio de 1913. Inicialmente estabelecido como Hospital de Caridade, a instituição evoluiu para se tornar a Irmandade Santa Casa de Misericórdia de Matão, e é hoje conhecida como o principal centro médico da cidade.
Localizado estrategicamente na Rua Sinharinha Frota, 556, o hospital expandiu-se ao longo dos anos para ocupar um quarteirão inteiro, estabelecendo-se como um centro de saúde de referência no coração de Matão. Essa expansão física foi acompanhada por um avanço significativo em termos de capacidades e serviços.
Atualmente, o Hospital Carlos Fernando Malzoni destaca-se por oferecer uma gama abrangente de serviços médicos e hospitalares. Com 191 leitos ativos e uma área construída de 13.686,38 m², a instituição mantém um corpo clínico robusto com mais de 100 médicos especializados em diversas áreas. A equipe é complementada por mais de 900 colaboradores diretos, que garantem o atendimento de alta qualidade e humanizado.
Entre os serviços oferecidos, o hospital é equipado com um centro cirúrgico de última geração, unidades especializadas de terapia intensiva, um setor de diagnóstico avançado e laboratórios de análises clínicas. Essas instalações permitem a realização de procedimentos complexos e o tratamento eficaz de uma ampla gama de condições médicas, assegurando uma altíssima resolutividade dos casos na região.
O Hospital também opera a HSAÚDE, sua própria operadora de saúde, que junto ao atendimento pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e a parcerias com convênios privados, amplia significativamente o acesso a tratamentos de qualidade para a população local e regional.
Além dos serviços clínicos, o Hospital Carlos Fernando Malzoni é um centro de ensino e pesquisa, contribuindo para a formação de novos profissionais de saúde e para o desenvolvimento de novas práticas médicas.
Após superar os desafios impostos pelo período de pandemia, o hospital continua a cumprir sua missão de servir a comunidade com excelência, reforçando seu compromisso com a saúde e o bem-estar dos matonenses. O Hospital Carlos Fernando Malzoni não é apenas uma instituição médica; é uma parte integral do legado e da vida diária de Matão.

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn

Centro de Hemodiálise já realizou mais de 207 mil atendimentos

Um serviço complexo e imprescindível para a manutenção da vida e com um volume elevado de atendimentos diários. É desta forma que o setor de Hemodiálise de Matão pode ser classificado. Atualmente, 186 pacientes realizam o procedimento de terapia renal substitutiva na cidade. Segundo os responsáveis pela unidade, devido às complicações decorrentes da Covid 19, praticamente dobrou o número de pacientes do início da pandemia até hoje. Neste setor, são disponibilizadas 35 máquinas de diálise, sendo 31 distribuídas entre os dois salões, 2 na UTI e 2 reservas. Todo este recurso, permite a realização de 90 sessões diárias, totalizando mais de 2500 sessões ao mês em pacientes com insuficiência renal crônica ou aguda. A unidade funciona em três turnos, de segunda a sábado, das 6h às 20h. A equipe técnica é composta por 3 médicos nefrologistas, 38 profissionais de enfermagem, nutricionista, psicóloga e assistente social. O Centro de Hemodiálise Antonio Walter Trevizaneli teve sua inauguração em Março de 2010. Desde então, começaram os atendimentos para os pacientes conveniados e particulares. Somente 11 meses depois, em 20 de abril de 2011, o serviço foi credenciado no SUS. Esta conquista só foi possível, graças a união de esforços de todos os membros da diretoria do hospital, que tiveram como propósito, mudar a realidade no atendimento das pessoas com insuficiência renal crônica e aguda em toda região. De acordo com o nefrologista Nelson Gonçalves da Silva, esta conquista histórica foi um avanço muito grande na qualidade de vida dos pacientes. “Posso assegurar, que hoje temos um serviço de hemodiálise de altíssima qualidade. Possuímos uma equipe de profissionais capacitados e treinados para prestar o serviço”. O médico lembra como era difícil a vida dos pacientes que tinham que procurar o tratamento em outras cidades. “Na maioria das vezes, esses pacientes dão entrada no hospital com hipertensão e diabete alta. Atendemos também, casos mais graves, como os amputados e àqueles com necessidades especiais. Além de tudo isso, eles ainda se submetiam a viagens longas para outras cidades, o que tornava o tratamento ainda mais desgastante”. O médico explica ainda, que o serviço de hemodiálise é complexo e caro. “Alguns medicamentos são de alto custo e temos as despesas com insumos e pessoal. Além disso, a manutenção da qualidade da água usada no tratamento, que é primordial para a segurança do paciente, evitando infecções e outros tipos de complicações durante o tratamento”. E conclui. “Seguimos dentro dos parâmetros exigidos pela Sociedade Brasileira de Nefrologia e Vigilância Sanitária, e buscamos manter sempre esta qualidade pensando no paciente em primeiro lugar”.
O presidente do Hospital, João Carlos Marchesan refere: “ O nosso hospital fez e faz um esforço para manter a unidade de hemodiálise. Antes de 2010, os pacientes tinham que se deslocar a outras cidades, o que era um transtorno a mais, além do próprio tratamento. A nossa oferta de serviços para a população é incomparavelmente maior em relação às demais Santas Casas de cidades do mesmo porte. Todo o nosso esforço, é no sentido de, cada vez mais, o matonense não precisar ir à outras cidades para cuidar de sua saúde”. E conclui. “Apesar de todas as dificuldades de todas as Santas Casas, agravadas desde a pandemia, continuamos dedicando todos os nossos esforços para manter e trazer novos serviços para Matão”.
O Edivaldo Rodrigues do Nascimento, morador de Matão, tem 62 anos de idade e passou a metade de sua vida fazendo tratamento de hemodiálise contra uma Nefrite aguda que descobriu em 1993. O tratamento começou na cidade de Araraquara e durou 5 anos e meio. “Me lembro que eu acordava 4h30 da manhã pra pegar a Kombi da prefeitura. Ficava 4 horas na máquina, e, no retorna para casa, era muito exaustivo devido aos sintomas, sentia enjôo, tontura e dor de cabeça, passava muito mal”, lembra. Em 1998, ele conseguiu um transplante de rim, que durou 14 anos, mas, por causa de um cisto, ele parou novamente de funcionar. Hoje, Edivaldo continua seu tratamento, porém, bem perto de casa. “Foi uma bênção quando passei a fazer o tratamento aqui. Eu moro no centro da cidade, venho a pé e volto a pé. A equipe da hemodiálise é maravilhosa. Percebemos o cuidado e o amor que as enfermeiras tem com a gente, isso nos traz muita segurança”.A diabetes e a hipertensão foram os fatores que contribuíram para as complicações nos rins do Sr. Pedro Guardia Neto, de 64 anos, da cidade de Itápolis. Ele começou seu tratamento em 2016, e, em 2021, teve que amputar parte da perna. Ele conta que o atendimento no hospital de Matão é diferenciado. “Temos tudo aqui: Nutricionista, que nos orienta sobre a alimentação, a psicóloga dando apoio emocional, médicos e enfermeiras que cuidam da gente com amor e respeito. Sinto como se fossem da minha família, então, tudo isso faz com que o tratamento seja mais leve!”, relata. De acordo com a Psicóloga, Sônia Liesenberg, a Doença Renal Crônica impacta negativamente na qualidade de vida, tanto dos pacientes como de seus familiares. É necessária uma adaptação a essa nova condição. Além disso, é compreensível que os quadros de ansiedade e depressão se tornem frequentes. A psicologia tem papel importante nesse processo de adaptação”. E acrescenta. “O serviço de hemodiálise reúne, acima de tudo, pessoas comprometidas em ofertar possibilidade de que o paciente, usuário do serviço e suas famílias, encontrem, não apenas o tratamento para a sua doença,  mas, uma família para os seus muitos desafios”.
Desde o início das atividades, foram 207.478 atendimentos realizados, sendo 94.964 de pacientes de Matão e 112.514 das cidades referenciadas via SIRESP, são elas: Taquaritinga, Ibitinga, Itápolis, Dobrada, Borborema Santa Ernestina, Nova Europa, Tabatinga, Cândido Rodrigues, Araraquara, Américo Brasiliense, Motuca, Gavião Peixoto, Ibaté, Rincão, Monte Alto, Porto Ferreira, São Carlos, Ribeirão Bonito, Descalvado, Guariba, Barretos, Bariri, Batatais, Cedral, São Paulo.

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn

Palestra “Legislação para Internações para Dependência Química”

No último dia 30 de abril ocorreu palestra com o tema “Legislação para Internações para Dependência Química”, ministrada pela Diretora do Centro de Planejamento do DRS III Araraquara, Mary Cristina Ramos Pinto. O evento realizou-se no CEP – Centro de Ensino e Pesquisa do HCFM, com a participação de vários profissionais de saúde mental, incluindo o secretário de saúde do município, Orivaldo Ademir Reguin (Faro).
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn

“Palhaços da Alegria” visita pacientes do HCFM

 O grupo “Palhaços da Alegria”, da Igreja Metodista de Matão, vem todas às sextas-feiras ao Hospital Carlos Fernando Malzoni trazer música, alegria e esperança para os nossos pacientes, acompanhantes e colaboradores. Eles passam por todos os postos de internação do Hospital. Sabemos que essas ações levam espiritualidade, e temos certeza de que ajuda muito na cura. Sempre bem vindos “Palhaços da Alegria”!
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn

Curso de Cuidador de Idosos

Mais uma turma para a formação de cuidadores de idosos está em curso. Este é um curso que tem permitido o desenvolvimento de novos profissionais em uma área tão importante da saúde, afinal, a população está envelhecendo, e em breve essa profissão terá ainda mais relevância no mercado de trabalho e na área da saúde. A Professora Agami Garcia ministra aulas todas as quartas-feiras às 19h. Neste mês, uma das aulas foi sobre fonoaudiologia, com a fonoaudióloga Letícia Freitas Borges. O assessor de comunicação do HCFM, David Liesenberg também fez uma reflexão sobre a importância da comunicação, e aspectos importantes relacionados aos cuidados de idosos. Esse curso é realizado periodicamente no CEP – Centro de Ensino e Pesquisa do HCFM, e oferece certificação. #
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn

Hemodinâmica HCFM

O serviço de hemodinâmica do Hospital Carlos Fernando Malzoni é comparável aos melhores centros especializados em cardiologia intervencionista. Atendendo SUS, convênios e particulares, a área possui um time especializado de médicos e equipe altamente preparada para diagnosticar e tratar disfunções neurológicas, endovasculares e cardiológicas, como obstruções, aneurismas e tromboses. A técnica de hemodinâmica consiste na utilização de cateteres para analisar os vasos sanguíneos, o que a torna um procedimento seguro e minimamente invasivo. A equipe é composta pelos médicos intervencionistas Dr. João Orávio de Freitas Jr., responsável técnico pelo serviço, Dr. Said Assaf, Dr. Sérgio Luis Berti e Dr. Renato Sanchez Antonio, assessorados pela enfermeira responsável Glória Coutinho de Godoi e as técnicas de enfermagem Lidinalva da Silva Mota Pereira, Talia Carolina Noli Santos, Ingrid Sartório de Andrade, Laís Ferreira Polli, Leticia Ribeiro Oliveira, e ainda a secretária Camila Martins. Mensalmente são realizados em média 80 cateterismos, 50 angioplastias, intervenções extracardiacas e procedimentos neurológicos. Serviço prestado com excelência dentro do nosso Hospital de Matão! #HCFM #hemodinamica
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn

HCFM vacina colaboradores contra Influenza

Entre os dias 22 e 26 de abril, o Serviço de Controle de Infecção Hospitalar – SCIH, em parceria com o Serviço Especializado de Segurança e Medicina do Trabalho – SESMT aplicaram 800 doses da vacina Influenza Trivalente nos colaboradores do HCFM. Equipe composta por Fabiana Masalskiene, coordenadora de enfermagem do SCIH, e Nanci Gorla, enfermeira do trabalho do HCFM. Além de ser uma exigência legal na área da saúde, todos precisam estar protegidos de doenças. Verifique a sua caderneta de vacinação e faça a sua parte pela saúde! #HCFM #influenza #vacinainfluenza
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn

HCFM participa do 33o Congresso da FEHOSP

Entre os dias 23 e 26 de abril, o Hospital Carlos Fernando Malzoni participou do 33º Congresso FEHOSP, que neste ano apresentou o tema SAÚDE ALÉM DO ESG: ONDE ESTAMOS E PARA ONDE VAMOS? O tema ESG tem sido utilizado cada vez mais no Brasil e no mundo: ESG vem da sigla em inglês que significa meio ambiente, responsabilidade social e governança. O objetivo é estimular as práticas corporativas voltadas para as políticas sociais e promover uma gestão íntegra.
Pelo HCFM estiveram presentes Diego Wagner, gerente de Controladoria e Karina Jane, analista contábil. que participaram ativamente do fórum controladoria, em que vários assuntos foram discutidos, como Tabela SUS Paulista, regulação, regionalização, dentre outros. Também participaram do Congresso Gabriela Hespanholo, coordenadora de enfermagem do HCFM, e Marcy Trovó, gerente financeira do HCFM, que participaram de debates relacionados ao ESG, que ampliaram o debate sobre o impacto das áreas de saúde no meio ambiente, como uso consciente da água, reciclagem, separação do lixo, equipamentos com menos radiação. dentro dessa temática, enfatizaram a importância da humanização na saúde. A Fehosp, Federação das Santas Casas e Hospitais Beneficentes do Estado de São Paulo, é uma instituição sem fins lucrativos que representa cerca de 275 entidades beneficentes na área da saúde em São Paulo. Atuando há 65 anos, é uma referência nacional, promovendo a melhoria e modernização dos hospitais. #HCFM #FEHOSP #ESG
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
X