Telefone: (16) 3383-2500
Agendamento de Exames: (16) 3506-5500
Eventos

Simpósio sobre Doação de Órgãos atrai grande público

No último sábado (29), o Hospital Carlos Fernando Malzoni, por meio da Comissão Intra Hospitalar de Transplantes realizou o II Simpósio sobre Captação, Doação e Transplante de Órgãos e Tecidos. O evento teve o apoio do CENPREAB (Centro Neurológico de Pesquisa e Reabilitação) e da Organização a procura de Órgãos de Ribeirão Preto (OPO) e contou com 150 inscritos, entre médicos, enfermeiros e outros profissionais da saúde de Matão e demais cidades do estado, além do representante do ‘Projeto Luz’ do Rotary Club de Matão, Elcio Zaupa. O Simpósio teve como objetivo conscientizar, melhorar a capacitação e estimular a troca de experiências entre os profissionais da área da saúde com relação ao processo de doação de órgãos.A superintendente do Hospital, Denise P. da Câmara Minelli abriu o evento agradecendo aos palestrantes que contribuíram com seus conhecimentos e falou da importância de devolver a vida às pessoas através da doação de órgãos. “ A partir de 2010, passamos a ser um hospital de alta complexidade, com isso, nos deparamos frequentemente com pacientes graves que podem evoluir para morte encefálica, possíveis doadores de órgãos, preciosos órgãos que podem devolver a vida à outras pessoas. Essa é nossa missão, transformar um momento de dor para uns, em momentos de alegria para outros”,diz.Em seguida, os médicos Dra. Renata Ferlin Arbex, pneumologista do Hospital São Paulo de Araraquara, o cirurgião geral Dr.Charles Alexandre A. Jr e o cardiologista, Dr. Lucas Martins Massari de Matão, abriram o ciclo de palestras utilizando o tempo de dez minutos cada para falar sobre o tema “Meu paciente é candidato a um transplante de órgãos?”. Na sequência, o médico neurologista e pesquisador, Dr.César Minelli, abordou o tema “Diagnóstico de morte cerebral : o que mudou?”. A Enfermeira do HC de Ribeirão Preto, Margarida Momenti Chiaretti, falou sobre a atuação do enfermeiro da OPO no processo de doação de órgãos e tecidos. Depois, “Como preparar o centro cirúrgico para captação de órgãos”, foi abordado por Jéssica Monique Bellini, enfermeira da OPO de Ribeirão Preto. O Palestrante e Cirurgião do aparelho digestivo e transplante de órgãos abdominais do Grupo HEPATO, de São Paulo, Leonardo Toledo Mota, falou de sua experiência no programa Transplante sem Fronteiras. O Graduando em Medicina da UNIARA ,Cláudio Franco do Amaral Kfouri abriu a discussão com apresentação de caso e abordou “A idade do doador impacta nos resultados do transplante hepático?”. O médico renomado Dr. Reginaldo Boni, CEO Life’s Donor e coordenador da OPO do Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia trouxe o tema “Comunicação de más notícias”. De forma bem descontraída falou sobre o assunto e interagiu com os participantes. Em seguida “Stress e ‘Burn Out’ em médicos e enfermeiros: porque o autocuidado dos profissionais de saúde influencia no acolhimento de quem sofre”, foi debatido pelo doutor em saúde mental pela USP, o psiquiatra Dr. Marcos Aurélio Martins Ribeiro. Um dos temas mais debatidos entre os participantes do simpósio foi: “Como falar sobre a morte?”. A Dra. Esther Angélica Luiz Ferreira Pediatra, Reumatologista e Paliativista e professora-adjunta do departamento de medicina da USFCAR fez a discussão. O evento contou também com a apresentação teatral do Grupo Pazlhaçada que fez uma encenação de estudo de caso e emocionou a todos. O evento foi finalizado com a discussão de casos clínicos interativo que teve como intermediadora, a neurologista Dra. Liliana Tiemi Ujikawa, que também é coordenadora da Comissão Intra Hospitalar de Transplantes do Hospital de Matão e organizadora do evento. Em seguida, foi realizado um sorteio de brindes aos participantes. A Comissão Intra Hospitalar de Transplantes do Hospital Carlos Fernando Malzoni foi criada em 2017 e tem como presidente, Dra. Liliane Tieme Ujikawa, e as coordenadoras responsáveis, a gerente Assistencial Esther Maria Langhi Chiozzini e enfermeiras, Janaína Ap. Viviane Schimicoski e Mayra de Cássia Trovó. Desde o surgimento da comissão, já foram realizadas mais de 20 atividades entre captação de órgãos e tecidos, notificações de morte encefálica e entrevistas familiar.

Clique no botão de edição para alterar esse texto. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Ut elit tellus, luctus nec ullamcorper mattis, pulvinar dapibus leo.

AnteriorPróximo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *