Telefone: (16) 3383-2500
Agendamento de Exames: (16) 3506-5500

Hospital apresenta pesquisa em Congresso de Cardiologia

Hospital apresenta pesquisa em Congresso de Cardiologia
Evento considerado o mais importante do país reuniu mais de 8 mil inscritos no Transamerica Expo Center em São Paulo

O Hospital Carlos Fernando Malzoni em parceria com o Centro Neurológico de Pesquisa e Reabilitação (CENPREAB) apresentou o programa científico do estudo MaRCHA (Matão realizando o Controle da Hipertensão Arterial), no 40º Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo que aconteceu entre os dias 20 e 22 de junho no Transamérica Expo Center. O evento, que teve como tema Reduzindo a Mortalidade por Doenças Cardiovasculares, é considerado o mais importante do Brasil e reuniu mais de 8 mil inscritos. O objetivo do congresso é atualizar os médicos cardiologistas sobre as novas condutas e apresentar resultados de pesquisas que são desenvolvidas em todo país.

O médico neurologista e coordenador da pesquisa Dr. César Minelli , que também é presidente do CENPREAB, apresentou os resultados preliminares do projeto ‘MaRCHA’, que tem como objetivo controlar a pressão arterial da população de Matão atendida pelo programa Estratégia de Saúde da Família, em indivíduos acima de 35 anos de idade e, consequentemente, reduzir a incidência das doenças cardiovasculares, principalmente o AVC. A pesquisa existe há um ano e quatro meses e conta com 27 agentes comunitários de saúde e enfermeiros das unidades de ESF na coleta de dados. Os bairros monitorados são: Jd. Paraiso, Residencial Cadioli, Bom Jesus, Nova Cidade e Vila Guarani. Pare obter estes resultados, os agentes dos ESFs fazem mensalmente a aferição da pressão arterial domiciliar dos moradores e estas informações são armazenadas em um banco de dados. Aqueles que são identificados como hipertensos são acompanhados pela equipe de saúde dos bairros correspondentes. Os principais resultados deste estudo são que quase 70% da população avaliada estavam com a pressão arterial elevada, 10% não sabiam que estavam com a PA alta e apenas 30% das pessoas que tomavam medicamentos, estavam com a pressão arterial controlada.

Segundo Dr.César, este trabalho é de fundamental importância para a redução da pressão arterial e prevenção de doenças relacionadas a pressão alta como AVC, infarto do coração e problemas nos rins. “A hipertensão arterial é um dos principais fatores de risco associado a mortalidade e incapacidade em adultos. Estima-se que em torno de 30% da população adulta seja hipertensa. Associada a outros fatores de risco como tabagismo, diabetes, altos valores de colesterol, etilismo, sedentarismo e fatores emocionais a hipertensão arterial leva à doença aterosterótica, a qual é a causa direta das doenças cardiovasculares como AVC e infarto do coração, as maiores responsáveis pelas mortes no Brasil e no mundo”, explica César.

A superintendente do Hospital Denise Minelli, falou da importância dessa contribuição de Matão com a Ciência. ‘Toda a direção do hospital está muito feliz em saber que a nossa instituição está entre tantas outras cidades do país como protagonista em pesquisas importantes como essa apresentada pelo projeto MaRCHA. Estes estudos contribuem muito para a ciência e no auxílio da prevenção de doenças como o AVC, por exemplo. Parabenizamos todos os agentes de saúde, enfermeiros e toda a equipe do CENPREAB pelo brilhante trabalho que está sendo desenvolvido”, enfatiza Denise.

Centro de Pesquisa reúne ACS

No último dia 22 de março , o Centro de Pesquisa do Hospital Carlos Fernando Malzoni, coordenado pelo médico neurologista Dr. Cesar Minelli, realizou mais uma reunião com agentes comunitários de saúde e enfermeiros das unidades do programa Estratégia de Saude da Família. O encontro teve como objetivo levantar as demandas das unidades e alinhar planos de trabalho do projeto MARCHA – Matão Realizando o Controle da Pressão Arterial. 

O projeto visa prevenir a incidências de acidente vascular cerebral na cidade, controlando a pressão arterial dos moradores atendidos pelos EFS. 

Confira as fotos! 

Centro de Pesquisa divulga dados de hipertensos em Matão

Da população estudada, 70% dos hipertensos que tomam medicação continuam com a pressão alta

O Centro Neurológico de Pesquisa e Reabilitção (CENPREAB), em parceria com o Hospital Carlos Fernando Malzoni e programa Estratégia de Saúde da Família, juntaram-se para a apresentação de resultados do projeto MaRCHA (Matão Realizando o Controle da Hipertensão Arterial) no auditório do Centro de Ensino e Pesquisa. Reunindo dados sobre mais de 1.800 pessoas atendidas nas unidades do ESF dos bairros Bom Jesus, Cadioli e Paraíso, o projeto visa acompanhar a pressão arterial da população de Matão, através da medição com aparelhos de pressão automatizados fornecidos pelo CENPREAB, o objetivo é atingir 16 mil pessoas no município.

“Em torno de 1.800 pessoas estão catalogadas em um banco de dados com informações sobre a pressão arterial, diabetes, colesterol, prática de atividades físicas, o uso de cigarro ou não. Essas informações são importantes para realizarmos o controle da pressão arterial das população”, explica o Diretor Técnico do Hospital de Matão e Presidente do CENPREAB, Dr. César Minelli. As informações foram coletadas durante o ano de 2018 pelo agentes comunitários de saúde e alunos do curso Técnico de Enfermagem da ETEC Sylvio de Mattos Carvalho. “A partir da coleta desses dados conseguimos computar importantes informações que podem reduzir a incidência das doenças cardiovasculares, principalmente o AVC”, comenta o neurologista.

Dados apontam porcentagem de hipertensos

Entre os pacientes acima de 35 anos que participam do projeto, 35% dos 1.800 apresentaram pressão acima do normal. “O que mais chamou a nossa atenção nessa abordagem junto aos pacientes atendidos pelos ESFs é que 90% deles afirmaram que tomam remédio para o controle da pressão arterial, entretanto 70% destes não está com a pressão controlada. Ou seja, precisamos trabalhar junto com a estratégia da família para regularizar a pressão dessas pessoas, com o ajuste do medicamento ou conscientização sobre o uso do remédio”, afirma Minelli.

Para o médico, alguns pacientes hipertensos tem o costume de ingerir o medicamento somente quando acreditam que a pressão está elevada. “Isso não é o correto, a hipertensão é uma doença silenciosa, só conseguimos saber que ela está elevada quando a medimos. Por isso, o paciente que sabe que sua pressão está controlada porque está tomando o remédio, sabe também que ela irá subir se a medicação for suspensa”, conta o neurologista, que ainda completa, “o tratamento existe para manter a pressão controlada, deixar de tomar o medicamento irá elevá-la novamente, é preciso lembrar que esses picos de pressão são perigosos para o cérebro e coração”, diz.

O Projeto MaRCHA terá continuidade no ano de 2019, quando seguirá acompanhando os pacientes já cadastrados no banco de dados e percorrerá mais bairros. “Nas três unidades que estamos atuando ainda não conseguimos chegar ao número total do nosso público-alvo, temos pacientes que trabalham durante o dia e só estão em casa a noite ou fins de semana, estamos estudando uma forma de atende-los, por isso seguiremos indo de casa em casa para medir a pressão arterial da população”, conclui Minelli.