Telefone: (16) 3383-2500
Agendamento de Exames: (16) 3506-5500

Hospital de Matão é referência em parto humanizado e de alto risco

O Hospital Carlos Fernando Malzoni também é referência em parto humanizado e de alto risco. Entenda um pouco na entrevista concedida pelo médico obstetra Dr. Luiz Carlos Delphino, a enfermeira Natália Cadioli, e a doula Eliandra Vitoretti. (agradecimento à TVM/ Rádio Saudade)

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn

Projeto “Polvinho de Amor” é retomado no HCFM

O Hospital Carlos Fernando Malzoni retoma o projeto “Polvinho de Amor”, em favor dos prematuros da UTI do HCFM. Esse projeto foi implementado pela ONG Nica Pinotti, em parceria com o Rotary Club Matão Terra da Saudade e pelo Hospital de Matão, pelas mãos da saudosa médica ginecologista obstetra e membro do corpo clínico do HCFM, Helena Beatriz Perissé de Oliveira, falecida no último dia 13 de novembro de 2021 (assista abaixo a entrevista concedida ao repórter Luiz Esteves da TVM).
O projeto consiste na confecção de polvos de crochê, seguindo rigorosos padrões de produção, que são colocados dentro das incubadoras, junto aos bebês prematuros.
Desde o mês de novembro deste ano a médica neonatologista do HCFM Stela Mara A. Coelho Ramazza está se empenhando para que esse projeto seja retomado. “Temos que buscar a melhor situação do bebê dentro da UTI Neo Natal, e esse polvinho é um item muito importante”, explica. De acordo com a neonatologista, os prematuros extremos chegam a passar dois a três meses dentro das incubadoras. “É importante minimizarmos os desgastes desses bebês, proporcionando mais calma, que refletem positivamente na frequência cardíaca e na pressão arterial”.
O projeto dos polvinhos de crochê, denominado “Octo Project”, foi criado na Dinamarca em 2013, e rapidamente se disseminou pela Europa e pelo mundo diante dos resultados positivos.
Dra. Stela esclarece que “o formato do polvo, confeccionado em crochê, remete o bebê à sensação de contato com a parede uterina, que proporciona calma ao prematuro, e os tentáculos do polvo fazem o bebê se recordar do cordão umbilical, garantindo maior segurança durante o período que o bebê precisa passar dentro da UTI Neo Natal.”
A neonatologista destaca que “estamos retomando esse projeto em homenagem à Dra. Helena Perissé, que era a nossa maior colaboradora nesse projeto. Ela própria confeccionava os polvinhos, conseguiu muitas colaboradoras e muitas doações em prol desse projeto de amor”, conclui Stela.
Naiara Périssé de Oliveira Finotti, filha da Dra. Helena Perissé aprovou a iniciativa da Dra. Stela: “Ficamos muito contentes e emocionados em saber que resolveram continuar com o projeto que minha mãe trouxe para o Hospital. Esses polvinhos são lindos!”. A ONG Nica Pinotti se coloca à disposição para que esse projeto continue aliviando o grande desafio no começo das vidas dos prematuros da UTI Neo Natal do HCFM.
De acordo com Denise Minelli, superintendente do HCFM, “o Hospital de Matão sempre será sensível à humanização e excelência no cuidado dos pacientes desde a mais tenra idade. A iniciativa da Dra. Stela Ramazzi, inspirada na nossa memorável amiga e médica Helena Perissé nos enche de orgulho e alegria”.

O projeto necessita de ajuda da população, por isso, quem quiser colaborar deve entrar em contato com a Casa da Gestante do HCFM: Telefone (16) 3383-2500 Ramal 2150. Rua Brasília, 626, defronte à portaria principal do Hospital de Matão na Av. Sete de Setembro.

Como fazer os polvinhos (gentilmente cedido pela ONG Nica Pinotti):

 Linha grossa de algodão puro (100% algodão) ou linha mais fina utilizada de forma dupla. A linha pode ser mercerizada ou não. A espessura da linha utilizada ou quando usada dupla deve servir para agulhas 2 mm, 2,5 mm ou 3 mm a depender do ponto de cada crocheteira;

 Os polvinhos devem ter o corpinho de 6 a 9 cm. A cabeça deve ter uma circunferência de 15 a 17 cm. Corpos maiores atrapalham o espaço na incubadora;

 O ponto utilizado deve ser fechado: pontos baixos (sem laçada);

 O trabalho deve ser iniciado com o chamado anel mágico, técnica de crochê https://www.youtube.com/watch?v=__8zgF7xX3w (veja abaixo) para que seja bem fechado e não ofereça riscos ao bebê como sair enchimento ou prender o dedo;

 Os tentáculos devem ser em número de oito e ter no máximo 22 cm ao serem esticados para não oferecem risco aos bebês. Os pontos dos tentáculos também devem ser fechados para não prenderem os dedos dos bebês.

 O enchimento deve ser de fibra siliconada para que os polvos possam ser esterilizados em autoclave. Não pode utilizar lã acrílica ou qualquer outro tipo de enchimento;

 Os polvos podem ser de qualquer cor ou várias cores, porém eventuais enfeites devem ser bordados, ou feitos em crochê e muito bem pregados e sem nós aparentes. Nada pode se prender a fios ou tubos. Nada pode ser colado como olhinhos de plástico, laços ou qualquer outro enfeite.

A receita

  1. Fazer 6 pontos baixos em um “anel mágico”. Puxar o fio para fechá-lo. Utilizar um marcador de carreira ou um pequeno alfinete para marcar o primeiro ponto de cada carreira. As carreiras devem crescer em espiral (sem fechar a carreira e subir uma correntinha). Sempre em espiral. Isso é importante para que não haja emendas que machuquem a pele fina dos bebes;
  2. Um ponto baixo duplo até o final (dois pontos baixos em cada ponto) – termina em 12 pontos;
  3. Um ponto baixo e um ponto baixo duplo no próximo ponto. Seguir assim até o final. Termina em 18 pontos;
  4. Dois pontos baixos e um ponto baixo duplo até o final. Termina com 24 pontos;
  5. Três pontos baixos e um ponto baixo duplo até o final. Termina com 30 pontos;
  6. Quatro pontos baixos e um ponto baixo duplo até o final. Termina com 36 pontos;
  7. Não se esquecer de sempre marcar o primeiro ponto com marcador ou alfinete;
  8. A partir daqui fazer 6 a 8 carreiras de pontos baixos (marcar o início e não esquecer que é sempre em espiral);
  9. Iniciar as diminuições;
  10. Quatro pontos baixos e uma diminuição até o final; ficam 30 pontos. Fazer duas carreiras de pontos baixos;
  11. Três pontos baixos e uma diminuição até o final; ficam 24 pontos. Fazer duas carreiras de pontos baixos;
  12. Dois pontos baixos e uma diminuição até o final; ficam 18 pontos. Fazer uma carreira de pontos baixos;
  13. Sete pontos baixos e uma diminuição; mais sete pontos baixos e uma diminuição. Ficam 16 pontos. Uma carreira de pontos baixos;
  14. Encher o polvinho com a fibra siliconada. Deve ficar firme sem ficar duro;
  15. Iniciar os tentáculos. Entre dois tentáculos haverá um ponto para separá-los;
  16. Fazer 50 correntinhas. Fazer três pontos baixos em cada correntinha pegando no elo de cima ao posicionar a correntinha virada de frente para a crocheteira. Não se esquecer de sempre arrumar a correntinha. Terminar na última correntinha com ponto baixíssimo. Fazer um ponto baixo no corpo do polvinho e mais um ponto baixo de onde sairá mais uma correntinha de 50 pontos. Seguir assim até o final, totalizando os oito tentáculos;
  17. Os tentáculos vão enrolando naturalmente, mas é preciso arrumá-los ao final;
  18. Fazer um ponto baixo em cada ponto baixo entre os tentáculos. Fazer uma carreira de pontos simples. Completar com fibra siliconada o espacinho que sobrou. Fechar o buraquinho com linha na agulha de tapeçaria;
  19. Bordar os olhinhos e boquinha ou fazê-los em crochê muito bem pregados. Vale qualquer enfeite desde que não se prenda aos fios; não pode aparecer nenhum nozinho e nada pode ser colado.
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn

Hospital realiza a 3ª Semana de Humanização

A III Semana de Humanização do Hospital Carlos Fernando Malzoni começou lotando o auditório do Centro de Ensino e Pesquisa. Discutindo a comunicação no meio da saúde, grupos de trabalhos com colaboradores das mais diversas áreas foram estimulados a repensar a importância das formas de se expressar no ambiente hospitalar. A dinâmica foi elaborada pela equipe de Humanização da DRS III.

Além dos colaboradores, profissionais que atendem na rede de saúde do município também participaram. Em espaços interativos, os participantes puderam refletir em conjunto possibilidades de melhoria na comunicação.

Confira as fotos!

Equipe Multiprofissional visita Anhanguera

A equipe multiprofissional do Hospital Carlos Fernando Malzoni, esteve presente na 8ª Semana Acadêmica da Faculdade Anhanguera de Matão. Abordando os desafios da humanização, bem como a atuação da equipe dentro do contexto hospitalar, os profissionais puderam expor os trabalhos para os alunos dos cursos de Psicologia, Serviço Social e Pedagogia.

Representando todos os profissionais, participaram do evento a assistente social Natalia Vedroni, o nutricionista Peterson Waitman, a fisioterapeuta Roberta Quarteiro, a enfermeira Gabriela Hespanholo e a psicóloga Érica Silva.

Confira as fotos!

GTH realiza dia “D” do Colaborador

O Grupo de Trabalho Humanização, em comemoração ao Dia do Trabalhador, realizou o “Dia D” do Colaborador, procurando cuidar da saúde dos funcionários da instituição. Reunindo a sua equipe multiprofissional, os colaboradores receberam orientações de cuidado com a saúde, dicas sobre postura no ambiente de trabalho com fisioterapeuta, tiveram a disposição profissionais de diversas áreas como nutricionista, fonoaudióloga, psicóloga, dentista e assistentes sociais.

O evento contou com a parceria do curso Técnico de Enfermagem da ETEC Sylvio de Mattos Carvalho, os alunos puderam aferir a pressão arterial e medir a glicemia dos colaboradores que compareceram. O Serviço de Nutrição e Dietética ofereceu um café da manhã saudável.
Confira a primeira parte das fotos!

Hospital recebe doação de chocolates da OAB Matão

A Comissão de Ação Social da OAB-Matão presenteou o Hospital Carlos Fernando Malzoni com 49 caixas de bombons. A doação é resultado da campanha de Páscoa que reuniu os advogados, bem como a sociedade, na ação solidária que busca celebrar a data comemorativa em diversas entidades.


Na ocasião, membros da OAB realizaram a entrega das doações para a superintendente do Hospital, Denise Minelli e para a representante do Grupo de Trabalho de Humanização, Natalia Vedroni. As caixas de bombons serão entregues às crianças internadas na instituição durante toda a semana. Confira as fotos!

Voluntários oferecem café da manhã para gestantes

As gestantes e acompanhantes do Centro de Atendimento Materno Infantil (Casa da Gestante) receberam um café da manhã especial, na última quarta-feira, 20. Preparado pela Igreja Presbiteriana de Matão, a recepção para os usuários da casa foi idealizada pelos voluntários para quebrar a rotina e levar um pouco de alegria e presentes para os usuários.

Com vários membros da igreja presentes, o café foi animado com músicas e palavras de conforto para as pacientes presentes. Além das atividades, o grupo de voluntários entregou para as gestantes uma lembrança preparada especialmente para o café da manhã. 

Café da Manhã comemora Dia da Mulher

O Grupo de Trabalho de Humanização, com apoio do Serviço de Hotelaria, realizou um café da manhã especial para as mulheres do Hospital Carlos Fernando Malzoni nesta sexta-feira, 8. Em comemoração a data do Dia Internacional da Mulher, as colaboradoras puderam desfrutar de um café da manhã especial, além de desfrutarem de um momento de beleza com mimos recebidos pelo Atacarejo da Beleza e Genial Perfumaria.

Para a assistente social Natalia Vedroni, a ação visa quebrar a rotina do dia a di. “O GTH acredita que essa é uma data de celebração e tivemos uma resposta muito positiva das colaboradoras, mais de 400 passaram pelo local somente no horário da manhã e puderam aproveitar o que foi preparado”, afirma.

Confira as fotos!

X